Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Samora – Grande ambiente e casa cheia!

  • 2016-08-23 04:53
  • Autor: Texto: Solange Pinto / Fotografias: João Dinis


Samora Correia recebeu a sua tradicional Corrida de Touros...
Crónica da Corrida
Galeria Fotográfica

Soma e segue o empresário Rafael Vilhais. Samora Correia encheu a portátil ali instalada, para receber uma corrida de touros, envolta em seriedade, de resto já costumeira neste empresário, o ‘tal’ que este ano dá cartas nas suas organizações de excelência.

Houve seriedade do organizador e muito empenho da parte dos cavaleiros e forcados, mas a verdade é que o espectáculo não resultou na sua plenitude pelo complicado jogo dado pelos toiros da ganadaria Prudêncio.

O primeiro era mansote, os restantes ‘deixaram-se’ sem empenho e sobretudo, adiantavam-se uma barbaridade, complicando a vida aos toureiros.

Das seis actuações da noite, destacou-se a segunda de Filipe Gonçalves, pela alegria impressa e vontade de triunfo exibida. Depois de ladeios e remates em piruetas, deixou dois violinos que entusiasmaram o público. Frente ao seu primeiro, pouco havia a fazer dada a mansidão do oponente.

Das suas prestações do ginete do Algarve, há a referir a má relação com a ferragem comprida, quiçá pela lesão que o cavaleiro tem no seu braço direito e que certamente o condicionará.

De Francisco Palha, conta-se a boa actuação frente ao primeiro Prudêncio do seu lote. Ferros em sortes frontais, arriscando o pêlo, numa exibição com poder junto das bancadas. Francisco Palha está em fase de renovação, notando-se a evolução a cada prestação.

Frente ao segundo as coisas não correram de feição, sendo que Palha resolveu como pôde a difícil papeleta.

Jacobo Botero, o mais novo toureiro em cartel, levou a efeito duas actuações com algumas intermitências. Teve a preocupação de lidar e fazer as ‘coisas’ com correcção, no entanto, houve alguns fortes toques nas montadas, por entre curtos de boa execução. As suas prestações ficaram em timbre mais alegre, na fase em que cravou violinos e um deles de palmo.

No que concerne às jaquetas de ramagens, houve boas prestações, mesmo e quando foram levadas a efeito por forcados mais jovens.

Vila Franca e Alcochete foram as ‘cores’ da noite. Por Vila Franca, em pegas efectivadas ao segundo, terceiro e primeiro intentos, estiveram Guilherme Dotti, David Moreira e Gonçalo Filipe. Por Alcochete, estiveram na linha da frente, Francisco Gaspar, João Machacaz e Pedro Gil, em consumações à primeira, segunda e primeira tentativas, respectivamente.

No intervalo do festejo, foi homenageado Rafael Trancas, falecido vítima de doença prolongada, no passado ano, sendo a maioria dos brindes da noite, efectuados a irmãos, esposa e filhos do malogrado picador.

A corrida de praça cheia, foi dirigida por Lourenço Luzio.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0