Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Editorial - Julho - Prometo que um dia conto a história!

  • 2017-07-12 17:45


'...a existência de um lobby, dizendo que era gay... pouco importa se é gay, heterossexual ou bissexual, importa sim que o há...'

No início da presente temporada, animei-me com o futuro da Festa em Portugal...

Cri, que os empresários tinham finalmente entendido que sem ovos, jamais se poderiam fazer omeletes e que, seriam os cartéis de força e prestígio, os que iriam 'salvar' do abismo tudo isto que amamos e não queremos deixar morrer...
Rafael Vilhais deu um poderoso pontapé de saída, anunciado um elenco de luxo na Moita, seguiu-se Rui Bento e o Campo Pequeno, com um cartel com os seus atractivos, embora com a repetição de Roca Rey, logo 'después', o espanhol Zuñiga com um mano-a-mano interessantíssimo, em Estremoz... Nos meandros da Festa, ouvia-se já falar na 'mega' feira de Santarém e...

Bem, a verdade é que tudo se projectava de forma diferente...
Campo Pequeno, oficialmente esgotado, mas o tormento chegaria... Estremoz não esgotou, Moita nem lá perto e Santarém, idem...

Entretanto, outros elencos, outras histórias, um Campo Pequeno com uma primeira metade de temporada fraquíssima, a registar as mais fracas lotações de sempre e outros tauródromos, com entradas de preocupação. Pelo meio, casa esgotada em Évora, numa tarde/noite de ambiente; antes, alter com grande ambiente e Vila Franca, com a teoria do copo meio cheio, meio vazio, que é como quem diz, boa casa, mas num cartel para esgotar!

Há efectivamente motivos para preocupações.

A falta de concertação dos empresários, os atropelos e a troca do cartel que agrada à terra, face ao favorecimento dos agradinhos entre empresários apoderados de toureiros, tem sido verdadeiramente castrador para a tauromaquia.

A escassez de promoção, ou a limitação da mesma, também não tem ajudado.

Competição é também um factor primordial na tauromaquia, cuidar o elemento toiro, seriedade...

Há tempos atrás, um blog jogou ao ar, a existência de um lobby, dizendo que era gay... pouco importa se é gay, heterossexual ou bissexual, importa sim que o há...

Fecham um cerco, abrangem vários quadrantes da tauromaquia... agem em uníssono!

Prometo que um dia falo na história, se entretanto, continuarmos aqui todos, vivinhos da Silva... Sim, porque isto de dizer o que tem de ser dito, traz os seus problemas...

Vamos ter esperança, isto um dia muda!

Meteorologia