Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Noite entretida na Nazaré

  • 2017-09-11 11:32
  • Autor: Rodrigo Viana
  • Autor da Foto: Rodrigo Viana


A Praça de Touros do Sítio da Nazaré, recebeu no passado sábado, 9 de Setembro, a sua tradicional Corrida Concurso de Pega.
Seis cavaleiros em praça, e três grupos de forcados, com a melhor pega a ser entregue a Fábio Silva dos Amadores da Moita.
CRÓNICA DA CORRIDA

Verão na Nazaré é sinónimo de praia, ondas, emigrantes e claro... toiros!

Em mais uma temporada sob alçada da empresa de Fernando Santos, a bonita praça de toiros do Sítio da Nazaré recebeu seis corridas de toiros, a última das quais no passado sábado 9 de Setembro. Cartel de seis cavaleiros, concurso de pegas a ser disputado por três grupos de forcados e toiros de duas ganadarias levaram a que este tauródromo preenchesse quase na totalidade a sua ocupação.

Coube a Rui Salvador abrir hostilidades frente a um toiro de Ascensão Vaz que se deixou, sem nunca romper. O cavaleiro tomarense preparou bem as sortes, destacando-se os bons quarto e quinto curtos da sua atuação.

Marco José teve uma boa prestação frente ao pior toiro da corrida, que como todas as reses da primeira parte do espetáculo pertenciam à divisa de Ascensão Vaz. Vendo que o seu oponente saiu completamente desligado, mirando todo e qualquer movimento na teia, o ginete das Caldas da Rainha deixou os ferros compridos em sortes de recurso. Trocou de montada, conseguindo levar a lide a patamares superiores, deixando boa série de curtos, dois ferros de violino, finalizando com um curto de excelente nota. Deixou um ambiente extraordinário no muito público presente.

Ana Batista, que substituíra a anunciada Sónia Matias, teve pela frente o melhor da primeira parte. Iniciou faena de curtos com um ferro algo traseiro, porém a sua experiência e valentia permitiram que a cavaleira salvaterrense seguisse para uma boa série de curtos e dois palmitos de boa execução.

Após o curto intervalo saiu à praça o cavaleiro Marcos Bastinhas. Veio motivado o cavaleiro alentejano, após lograr o corte de duas orelhas e conseguir consequentemente saída em ombros pela porta grande da Praça de Toiros de Don Benito, em terras de nuestros hermanos.
Exibiu bons pormenores de brega, ladeando e levando o toiro na garupa do “Capa Negra” para posteriormente deixar a ferragem da ordem. Destaque para dois ferros curtos com batida ao pitón contrário e dois pares de bandarilhas, que deixaram ao rubro o conclave presente.

Seguiu-se Parreirita Cigano. Teve pela frente um toiro encastado de Condessa de Sobral, com boas condições de lide. Porém, diga-se de verdade, o jovem cavaleiro do Cartaxo não teve em 'noite sim'. Após ter visto a sua montada escorregar ainda na fase de compridos, seguiu para os curtos, sucedendo-se toques nas montadas e desacertos nas reuniões. Terminou a sua passagem pela Nazaré com três ferros de valor com acentuado quiebro.

Cláudia Almeida enfrentou-se com o maior da corrida. Uma estampa! Toiro burraco de capa, de apresentação irrepreensível e que cumpriu. Após deixar os compridos de forma regular e com o toiro a ir ligeiramente a menos, deixou dois curtos de boa nota, adornando-se nos remates das sortes. Terminou com dois palmitos e um par de bandarilhas.

Quanto à “rapaziada” das jaquetas de ramagens, estavam a disputar o concurso de pegas os grupos de forcados amadores da Moita, Ramo Grande e Beja. Pela formação que viajou desde a margem sul do Tejo foram caras Fábio Silva e Nuno Santos, efetivando as pegas respetivamente ao primeiro e terceiro intentos.
Pelos moços açoreanos pegaram o cabo Manuel Pires e Daniel Brasil, ambos à primeira tentativa.
Pelo GFA Beja saltaram à arena Guilherme Santos que foi dobrado por Francisco Patanica ao quarto efetivo intento e Luís Eugénio numa boa pega à primeira tentativa.
O júri decidiu que a pega vencedora fosse a primeira da noite, concretizada por Fábio Silva, que teve uma brilhante ajuda do forcado António Santos, do GFA Moita.

O curro de toiros cumpriu, de forma geral, satisfatoriamente, destacando-se os quarto e quinto da ordem, dois toiros jaboneros com boas condições de lide. Merecidamente, o representante da ganadaria Condessa de Sobral foi chamado a dar volta após a lide dos três astados que enviou pela homogeneidade tanto em apresentação como em bravura.

A corrida em que foi prestado minuto de silêncio em memória do recentemente falecido, forcado do GFA Cuba, Pedro Primo, foi dirigida pelo delegado do IGAC, Francisco Calado, assessorado pelo Médico Veterinário José Manuel Lourenço e pelo cornetim Vitór Ilhéu.

Meteorologia