Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Editorial - Setembro - Aqui temos opinião, dela não fugimos… nem deles!

  • 2017-09-12 12:23


...'O TouroeOuro não se acobarda e faz um trabalho invejável e que apenas os números podem comprovar… já muitos admitem que o TouroeOuro é o órgão de comunicação de referência… mas claro, há os que não admitem, preferindo fazer algo do género de roleta russa… jogamos, ok, jogamos!'...

Escrevo num dia, em que é inevitável recordar, um grande acontecimento vivido na Praça de Toiros Daniel do Nascimento… Alexandre Pedro Roque Silva, anunciado em cartaz, como Pedrito de Portugal, matava um toiro, em plena arena da Moita!

Digo e repito, foi um acontecimento, num tempo em que a Feira Taurina da Moita, era todo um ícone da temporada e ali, era exactamente ali, que se encontrava a afición de elite, a afición ao toureio a pé, que, este toureiro, arrastava consigo…

Passaram 16 anos e tanta coisa mudou… Por coincidência de datas, começa hoje a Feira Taurina da Moita, em ano de estreia de Rafael Vilhais ao comando do leme da Daniel do Nascimento, ainda e sempre, um dos meus tauródromos de eleição.

A Moita não é uma praça qualquer e mesmo que se comente incessantemente que a Moita é um caso dos tais, em que o público exige mas não vai aos toiros, atenção, a coisa não é exactamente assim…

O público está sim e cada vez mais selectivo, jogando para trás das costas, os festejos dos quais desconfia.

Rafael Vilhais, tentou e bem, revitalizar a data de Maio, fazendo-o com pompa e circunstância, mas, a verdade é que, o facto de Roca Rey não ter tido uma passagem triunfal por Lisboa, cerca de um mês antes e de se saber, que no mesmo dia actuaria em Cáceres, retirou ao festejo toda e qualquer força…

Esta edição da Feira Taurina da Moita, confesso, ter ficado um pouco aquém daquilo que sonhei, ser o sonho de Rafael, o empresário que no passado ano, bateu todos os recordes de bom gosto… Fico por aqui, não querendo de forma nenhuma, afectar o normal desenvolvimento de uma feira que amo de paixão… as criticas, essas boas e más, virão depois… sim, porque o TouroeOuro, tem opinião, diz a verdade segundo os critérios editoriais que defende e sobretudo, segundo o carácter e convicções de quem escreve e dá o peito às balas…

Expressão exagerada? Não, nada disso. Escrever o que tem que ser escrito, motiva reacções que vão desde o elogio, ao insulto e até à ameaça da integridade física… mas aguentamos! Garanto que aguentamos!

O TouroeOuro não se acobarda e faz um trabalho invejável e que apenas os números podem comprovar… já muitos admitem que o TouroeOuro é o órgão de comunicação de referência… mas claro, há os que não admitem, preferindo fazer algo do género de roleta russa… jogamos, ok, jogamos!

Mal terminada a Moita, garantimos que faremos o balanço do que foi, do que não foi e poderia ter sido… Faremos também um ponto de situação no que diz respeito aos nomes que se apontam como principais destaques da temporada e uma antevisão do que será a Feira Taurina de Vila Franca…

Faremos ainda, um balanço específico ao que foi a temporada do 125º aniversário do Campo Pequeno…

Aqui, repito, temos opinião e dela não fugimos… nem ‘deles’!