Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Opinião d'Ouro - O Dia da Tauromaquia ou o Dia do Aficionado

  • 2019-02-25 21:07
  • Autor: Solange Pinto


'Não nos enganemos com as fotos do social. Esses, os que gostam de aparecer, estão lá sempre. Lembremo-nos agora, de reactivar a afición menos visível, a que está no ‘pueblo’ e que bem alimentaram durante anos, cerca de dois sectores de uma qualquer praça de touros…'

O Dia da Tauromaquia (ou até, o Dia do Aficionado), foi, no que ao nosso olhar concerne, um sucesso.

As crianças saíram à rua, os mais velhos também, o dia soalheiro abençoou o convívio e os flashs das objectivas também…

Todos ou quase todos, queriam ser vistos. Todos, ou quase todos, ali foram, esperamos, com o objectivo primeiro, não de financiar a Prótoiro, mas, de gritar aos sete ventos, que são aficionados e que isto, isto a que chamamos tauromaquia, jamais poderá acabar.

Foram muitos, muitos anónimos principalmente, faltando, sobretudo, a ‘malta do toiro’, gente da que circula de praça em praça, como empresários, ganadeiros e até mesmo, outros toureiros… (estranho)!

Não fui à primeira edição do Dia da Tauromaquia, denominado de Bullfest, cujo nome, muito criticámos e ainda bem que o fizemos, dando bons frutos… Ainda assim e confiando nos que lá estiveram e nas comparações feitas, há a referir, que sim, se melhorou em muita coisa e isso, é sinal de que, por entre os agentes, pouco comunicativos, há quem observe e pense as falhas, de forma a melhorar e conseguir o resultado que ali se conseguiu… juntar todos, ou quase, repito, em torno de uma causa que nos é comum.

Os eventos programados, foram levados a efeito dentro dos horários, na sua maioria com gosto e mesmo o festival, teve bons e animados momentos…

Pena que não se tivesse colocado a inscrição ‘esgotado’, mas não vem mal ao mundo por isso…

Tudo decorreu, cremos, como se havia sonhado e até nós, muito reticentes do formato em causa, damos a mão à palmatória e damos os parabéns, a todos os que têm que ser felicitados…

Pelo caminho, ficou a decisão devidamente fundamentada (e que entendo e até concordo) da não participação da Escola Taurina da Moita, ou mesmo, de alguns dos grupos de forcados de maior projecção… pena também, o tardio chamado da imprensa taurina, apenas e só depois de que tudo estivesse feito e divulgado, como, pena também, é o facto de Hélder Milheiro ter mencionado quais os Media Partners do evento, sem que nenhum, fosse de cariz taurino… Friso, a título de informação, que muito poucos, diria que uns 10% dos órgãos citados, fez resenha do sucesso, do Dia da Tauromaquia. Para isso, estivemos cá nós. Estivemos, orgulhosamente, nós!

Ausência também de lideres partidários, dos autarcas de Lisboa e a já quase óbvia e repetida ausência do Sr. Presidente da República.

Aplaudo de pé, esqueço os esquecimentos da Prótoiro e aguardam-se agora, os números do sucesso e os resultados práticos da iniciativa, com toda a certeza, a repetir em anos vindouros.

Entretanto, não se esqueçam, que a tauromaquia é também rural e que a perder postos agora moribundos, mas que outrora foram de supra importância, ficaremos mais pobres… e de forma irreversível.

Não nos enganemos com as fotos do social. Esses, os que gostam de aparecer, estão lá sempre. Lembremo-nos agora, de reactivar a afición menos visível, a que está no ‘pueblo’ e que bem alimentaram durante anos, cerca de dois sectores de uma qualquer praça de touros…

Se tudo ou muito do que se conseguiu no dia 23 de Fevereiro, servir para ‘financiar’ este propósito, então, terá valido a pena…!