Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Opinião d'Ouro - Portugal, um país de oportunidades

  • 2019-03-19 22:56
  • Autor: Solange Pinto


'...Quantos e quantos jogadores de futebol, gostariam de ser escolhidos para integrar a Seleção Nacional e não o são, pese embora não se discuta o seu valor. Quantos e quantos jogadores, gostariam de jogar em competições europeias ou mundiais. Mas nem todos o podem fazer…'

Há dias, li com muito agrado, uma belíssima entrevista feita a Curro Romero, pelo jornal espanhol ABC…

Aconselho vivamente a leitura. 

Impressionante a história deste toureiro, desta lenda viva e da humildade que ainda conserva, pese embora a categoria artística que lhe é atribuída e reconhecida por todos.
Curro, falou da sua infância, dos seus primórdios como espada, das dificuldades atravessadas, da dedicação, do empenho, da falta de argumentos económicos para concorrer com os seus pares e da visão que tem do toureio actual… De forma tremendamente elegante, Curro admite, que tinha, além da sua paixão pelo toureio, uma tremenda esperança, de conseguir dar a seus pais, uma casa digna, o que felizmente, viria a acontecer… Curro, conta ainda, entre muitas outras coisas, a história da sua primeira muleta. Sua, e dos seus amigos, visto que, foi comprada em 'sociedade', sendo usada em escalas rotativas de uma semana.

Começo este escrito, pela paixão que também eu tenho por Curro Romero e sobretudo pelas memórias que tenho de quando o pude ver tourear, nos últimos anos da sua larga carreira. Mas, admito que a introdução alargada sobre Romero, 'El Farón de Camas', pretende-se com a comunicação feita pela Associação Nacional de Toureiros, enviada hoje às redações.

A Associação, 'contou', que fez um pedido a Simón Casas para que toureiros como António João Ferreira, Nuno Casquinha, Manuel Dias Gomes e Joaquim Ribeiro 'Cuqui' pisassem a arena mais importante do mundo, com o objectivo de fazerem a sua 'cerimónia' de confirmação de alternativa.
Compreendo a tentativa de ajuda da ANDT, mas, confesso que não consigo compreender, esta forma de estar, sobretudo se em conta tivermos, que tudo na vida, ou seja, em muitas áreas de afirmação laboral e social, as 'oportunidades' estão compreendidas, algures entre um triângulo formado por dinheiro, sorte e mérito!

Está provado, que apenas a boa condição financeira, não é factor por si só suficiente para que haja afirmação de um toureiro, sendo que a história, provou isso mesmo e só não cito nomes, de forma a respeitar e não pecar por falta de elegância. A sorte, faz tremenda falta neste triângulo. Tantos e bons toureiros, que não tiveram a 'estrelinha' na hora certa. Tantos e tantos toureiros, que lutam com o azar na hora dos sorteios e que nunca lhes toca, o novilho ou toiro que permite deslumbrar e dar nas vistas… 

O terceiro, mas não menos importante elemento desta história, chama-se indubitavelmente, mérito, qualidade, carisma, vocação, paixão prática e conhecimentos técnicos… e claro, aquele tal je ne sais quoi com que alguns nascem…

O toureio não se coaduna com petições públicas para compra de trastes de tourear. O toureio, não se coaduna com pedidos especiais para confirmações de alternativa. Ao toureio, não cai bem, o agradecimento excessivo aos empresários, sobretudo quando feito em brindes do género 'obrigadinho pela oportunidade'... 

O toureio, é o inverso. O toureio e o toureiro, têm que ser apetecidos, o toureio, tem que ser desejado, o toureio é grandeza e não é só porque o diz o ditado…

Quantos e quantos jogadores de futebol, gostariam de ser escolhidos para integrar a Seleção Nacional e não o são, pese embora não se discuta o seu valor. Quantos e quantos jogadores, gostariam de jogar em competições europeias ou mundiais. Mas nem todos o podem fazer…

O português tem tendência natural para se colocar em plano inferior… Quando o dito triângulo se junta, não há quem não tenha oportunidades em Madrid!