Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

‘A FICOR 2019 tem este ano uma corrida especial… numa região onde a tauromaquia tem um peso muito grande…’, salienta autarca de Coruche

  • 2019-04-06 01:33


O autarca de Coruche, Francisco Oliveira, apresentou esta sexta-feira, a edição 2019 da Feira Internacional da Cortiça de Coruche (FICOR), que cumpre este ano a décima primeira edição, no concelho que é a Capital Mundial da Cortiça.

A realização de uma Corrida de Touros durante a FICOR é já uma tradição, e isso mesmo salientou o autarca, ‘é a décima primeira edição da nossa FICOR e já estamos habituados a este programa, de termos uma corrida de touros…’ demonstrando de facto que esta corrida será um acontecimento, ‘esta corrida de touros de facto é especial, estamos a falar da dinastia Ribeiro Telles, onde o João vai lidar a solo seis touros, de seis ganadarias e portanto é um desafio muito grande para o cavaleiro, para o João Ribeiro Telles, mas também é muito importante naquilo que é o panorama naquilo que são as actividades económicas do que é a FICOR, isto porque a corrida de touros, neste nosso concelho e nesta nossa região, a tauromaquia tem um peso muito grande, e arrasta sempre muita gente para a corrida de touros.

Francisco Oliveira espera que esta seja uma boa corrida, de casa cheia, numa das maiores praças do país, mas além de desejar que os aficionados que marquem presença no espectáculo de 2 de Junho, possa desfrutar de uma boa tarde de touros, espera ainda que os mesmos possam ‘vir à nossa feira, à Feira Internacional da Cortiça, ver as novidades que existem em termos das aplicações deste material nobre que é a nossa cortiça, e depois a participação naquilo que são os fóruns científicos, os fóruns académicos, e onde são debatidos os problemas associados à nossa floresta, associados ao montado, associados a estas componentes todas que preocupam muito o país e preocupam muito o nosso concelho, porque somos verdadeiramente o maior produtor de cortiça em área florestal e também na componente técnica.’

Um facto é a ligação do mundo rural à tauromaquia, e isso mesmo foi confirmado pelo Presidente da Câmara Municipal de Coruche, ‘o mundo rural tem esta magnitude que é a envolvência das pessoas. Envolver as pessoas em torno de uma coisa que valorizam, aqui estamos a falar da tauromaquia, estamos a falar de um produto local, que é a cortiça, associado à nossa floresta do montado e portanto, é a ligação dos dois mundos. Um mundo que tem a ver com a cultura, com a tradição, com a identidade deste território, e outro mundo que é a actividade económica, que é valor económico para este concelho e daí termos tudo hoje o auditório do nosso Museu replecto de gente. Gente muito interessada em ver a quadra de cavalos do João, mas também em ouvirem o Joaquim Grave, que teve aqui também na mesa a fazer uma alusão à carreira do João Palha Ribeiro Telles, e é sempre um agrado nós ouvirmos o Joaquim Grave e a forma como ele utiliza as palavras e as direciona para a tauromaquia.’

Foi de facto muito satisfatório, muito agradável para todos nós, e tanto que assim é que estamos ainda aqui à conversa e à volta dos touros…’, concluiu.