Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Rui Fernandes 'Artista' em Chamusca

  • 2019-09-28 21:15
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


No ano em que comemora o seu centenário, a Praça de Touros da Chamusca, voltou a abrir portas para receber um festejo integrado no Certame Eh Toiro, com cartel composto pelos cavaleiros Rui Fernandes, João Ribeiro Telles e Miguel Moura, com toiros da ganadaria de São Marcos.
As pegas estiveram por conta do Grupo de Forcados Amadores da Chamusca, tendo o tauródromo apresentado uma lotação preenchida de cerca de meia casa forte.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

As derradeiras corridas do mês de Setembro, foram brindadas com bom tempo e calor fortes para a época que vivemos.

A Praça de Touros da Chamusca, voltou a abrir as suas portas na presente temporada, recebendo uma corrida de touros integrada no certame Eh Toiro, com cartel composto pelos cavaleiros Rui Fernandes, João Ribeiro Telles e Miguel Moura.

A ganadaria a lidar foi de São Marcos, tendo o curro apresentado trapio, mobilidade, sendo nota dominante o facto de se terem ‘deixado’ lidar… O quarto apresentou evidente escassez de forças.

O tauródromo apresentou cerca de meia casa forte no ano em que se comemora o seu centenário, quiçá porque hoje, esta foi ‘apenas’ uma das quatro corridas agendadas, numa incompreensível falta de concertação entre empresários.

A corrida teve uma excelente primeira parte, com triunfos de todos os ginetes, com francas boas actuações dos três elementos do elenco apresentado.

Mas vamos por partes…

Rui Fernandes está num momento da sua carreira de absoluta maturidade, sendo dele a maior coesão e trunfos da tarde… Actua com tranquilidade, sendo dono dos acontecimentos, tendo soluções na sua cabeça, para tudo… Se frente ao primeiro, bastou seguir ‘al compas’ do touro e das condições que apresentou, no segundo, teve de porfiar mais e usar de toda a sua experiência para contornar as dificuldades impostas por um toiro com evidente falta de força. No primeiro lidou soberbamente com o El Dourado, no segundo, com o H-Quiebro, estando os mais efusivos momentos a cargo do dueto feito com o Artista e seu cite em balancé.

Grande passagem pela Chamusca, em mais uma tarde para recordar.

João Ribeiro Telles foi autor de uma primeira actuação com ferros de muitos quilates, boa brega e domínio completo da lide. Esteve enorme nas reuniões, na abordagem ao cumpridor oponente e sobretudo, nas cravagens e remates.

Frente ao segundo, menos franco que o primeiro, andou correcto, embora mais morno, até à chegada à arena do Ilusionista, montada com a qual deu mais nas vistas, sobretudo em dois dos três curtos deixados. Citou de largo, atacou o toiro e cravou com valor.

Miguel Moura, foi autor de duas passagens distintas pela arena da Chamusca.
A primeira delas, andou em muito bom plano. O primeiro comprido da sua primeira prestação, foi cravado em sorte de gaiola, dobrando-se em seguida num palmo de terreno, rematando muito bem a sorte. Em seguida deixou curtos com ligeira batida ao pitón contrário, sendo que na preparação de um dos ferros, a sua montada escorregou, provocando a queda de Miguel, felizmente sem consequências.
A sua segunda actuação, foi de timbre mais morno, com Miguel a surgir menos inspirado nesta fase do espectáculo. Ainda assim, cravou com regularidade a ferragem da ordem.

A corrida teve hoje em cartel, um único Grupo de Forcados, os Amadores da Chamusca.

Abriu a função no que a pegas concerne, o cabo, Nuno Marecos, tendo efectivado pega ao segundo intento. Seguiram-se duas despedidas, Emanuel Injai e Rui Lucas, o primeiro concretizando à primeira tentativa, o segundo, à segunda abordagem ao toiro. Ambos os forcados, além das respectivas voltas à arena com os cavaleiros, deram volta em solitário.

As restantes três pegas, foram consumadas por Paulo Moreira, à segunda tentativa; Rui Pedro, constituindo mais uma despedida enquanto forcado desta formação, tendo concretizado boa pega ao primeiro intento (dando também ele volta em solitário) e José Crespo à primeira.

A Direcção de Corrida esteve a cargo da dupla formada pelo Delegado Técnico Tauromáquico e Veterinário, Marco Cardoso e José Manuel Lourenço, respectivamente.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0