Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Receio de “recolher obrigatório” levou duas empresas a entregar já propostas ao Campo Pequeno

  • 2020-03-18 18:15


A pandemia de Coronavírus (Covid-19), que assolou e assola o país, não tendo ainda atingido o seu pico, o que deixa antever uma temporada tauromáquica mais curta, e sobretudo sobre uma forte crise financeira, leva agora os “empresários candidatos” à gestão taurina do Campo Pequeno a repensar toda a sua estratégia, e sobretudo valores envolvidos no projecto.

Embora sejam muitos os nomes que se falam, sobretudo em sociedades e parcerias, uns portugueses, outros espanhóis e até mexicanos, com o objectivo de se criarem grupos fortes, financeiramente, para ir a concurso, a verdade é que até ao momento, e de acordo com o que o TouroeOuro apurou, terá havido ja duas empresas que fizeram a entrega da sua proposta à organização das seis corridas no Campo Pequeno, receando que o Presidente da Republica ao declarar o Estado de Emergência para Portugal, pudesse decretar o recolher obrigatório, o que iria inviabilizar a entrega de propostas, cujo prazo termina pelas 17 horas, da próxima sexta-feira, 20 de Março.

Pelo menos dois candidatos já existem, restando agora saber se mais alguém se irá apresentar, e sobretudo, em que datas se vão realmente realizar as corridas, uma vez que a pandemia de Covid-19, vai certamente alterar muito a nossa vida, inclusive a temporada taurina.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0