Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Tauromaquia com 66.400 espectadores em 42 espectáculos em 2020. IGAC apresenta relatório da temporada pandémica

  • 2021-01-01 15:41


A Inspecção Geral das Actividades Culturais (IGAC) apresentou esta sexta-feira, 1 de Janeiro, o relatório da “temporada pandémica”, que fica marcada por uma forte redução do número de espectáculos em relação a temporadas anteriores, motivada pela interrupção da temporada a 7 de Março, regressando somente a 11 de Julho, bem como pelas restrições impostas pela normativa da Direcção Geral de Saúde para a realização do espectáculo tauromáquico, que levou a que algumas empresas não realizassem espectáculos.

Luís Silveira Botelho, Inspector Geral da IGAC refere que a temporada 2020 “foi severamente marcado pela pandemia, com reflexo muito significativo em toda a atividade cultural e, naturalmente, com efeitos negativos bastante elevados para os espetáculos tauromáquicos, quer pela inviabilização de muitos, quer pelas fortes restrições que se impuseram aos que tiveram lugar”, salientando ainda que “num esforço conjunto entre a Direção-Geral da Saúde e a IGAC, foi aprovada uma orientação conjunta com medidas específicas para os espetáculos tauromáquicos, fruto da sua especificidade e do grau de intervenções e intervenientes que neles atuam.”

Uma palavra ainda para destacar o papel das equipas de inspeção da IGAC”, refere o Inspector Geral, que destaca “o extraordinário contributo e empenho do Inspetor Superior, Engenheiro Ricardo Hipólito, quer na articulação estreita com os promotores, forças policiais e demais associações do setor, antes, durante e após os espetáculos, quer na coordenação operacional e exemplar dos trabalhos de campo em que esteve envolvido.”

Sobre a temporada 2020, o relatório da IGAC, apresentado pelo seu Inspector Geral, refere que se realizaram um total de 42 espectáculos, 30 Corridas de Touros, 5 Festivais, 4 Corridas mistas e 3 Novilhadas, que totalizaram cerca de 66.400 espectadores, de acordo com os dados fornecidos pelos Delegados Técnicos Tauromáquicos.
Além dos 42 espectáculos realizados, foram ainda legalidados mais 6, que vieram a ser anulados, 5 pelas questões da pandemia e 1 por condições climatéricas.

A Praça de Touros do Campo Pequeno foi a que recebeu maior número de espectáculos, sete, seguida de Vila Franca de Xira, com cinco e Moita com quatro.
Foi também no Campo Pequeno que se registou a maior assistência, com 19.669 pessoas a presenciarem os espectáculos, seguida da Praça de Touros de Alcochete, com 7.404 pessoas e Moita com 6.430 espectadores.

Saliente-se ainda o facto da média de espectadores esta temporada ser de 1.581, o que se pode considerar bastante positivo, pois tendo em conta todas as limitações e restrições impostas aos aficionados, não foi muito discrepante de anos anteriores, 2.207 em 2019, 2.190 em 2018 e 2.000 em 2017.

A empresa de Ricardo Levesinho levou a cabo 12 espectáculos, a Ovação e Palmas (Luís Pombeiro) 9 e a Toiros e Tauromaquia 4, seguidas de um conjunto de empresas que realizaram 2 ou 1 espectáculo.

Nesta temporada existiram apenas duas provas para cavaleiro praticante, Duarte Fernandes a 8 de Fevereiro na Granja e Paco Velasquez a 8 de Agosto em Vila Nova da Barquinha, não tendo sido realizada qualquer alternativa ou outra subida de categoria.

De acordo com a IGAC, António Ribeiro Telles, Francisco Palha, Luís Rouxinol, Luís Rouxinol Jr., Manuel Telles Bastos e Marcos Bastinhas foram os toureiros que mais actuaram, por nove vezes cada, seguidos de Duarte Pinto e João Ribeiro Telles com 7 actuações e António Prates com 6.

Mara Pimenta, com 4 actuações foi a cavaleira praticante que mais actuou, e Tristão Ribeiro Telles o amador que mais esteve em praça, por 3 ocasiões.

No toureio a pé, Nuno Casquinha e Joaquim Ribeiro “Cuqui”, com 2 actuações cada foram os que mais actuaram, o novilheiro Duarte Silva com 3 aparições foi o que mais se viu na temporada 2020.

Manuel dos Santos Becas e Nuno Oliveira com 16 actuações foram os líderes do escalafón dos bandarilheiros, seguidos de Duarte Alegrete e Ricardo Alves “Pagá” com 14 presenças em praça, seguidos de André Rocha, Cláudio Miguel e João Bretes com 13.

O Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira foi o que mais pegou em 2020, por 6 ocasiões, seguido dos Amadores de Santarém com 5 e os Amadores de Coruche, Montemor-o-Novo e Amadores da Chamusca com 4.

Os Delegados Técnicos que mais vezes dirigiram em Portugal foram José Soares, Manuel Gama e Marco Cardoso por 4 ocasiões cada, sendo que os veterinários que mais vezes estiveram em direcções de corrida foram Jorge Moreira da Silva, por 7 vezes, José Luís Cruz por seis e José Manuel Lourenço e Carlos Santos por 5.

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0