Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Opinião d'Ouro - Tudo ao contrário?

  • 2021-07-20 21:07
  • Autor: Solange Pinto


"Está mais que na hora de afinarmos agulhas e definirmos uma mesma estratégia e até, as mesmas regras para “andar nisto”...
Somos o que somos, valemos o que valemos, mas podemos sonhar em ser mais sérios e melhores.
Pensem nisto..."

Tudo ao contrário? Ou talvez não! Talvez sejamos nós, uns e outros que circulamos no lado contrário da estrada, provocando acidentes por aí...

Entenda-se a comparação, para mote a uma dissertação sobre tema(zinhos) pequeninos...

Vivemos tempos incertos e de incertezas, de coisas estranhas, de atitudes que nunca foram típicas das gentes dos toiros... Com alguns defeitos, mas... sérios e honrados na maioria dos casos.

Agora, vejamos a confusão de estratégia nenhuma.

“Uns” fazem testes Covid, fazendo disso propaganda e muito bem, claro está... outros, publicitam em cartazes, a não necessidade de testes para se ir aos seus espectáculos como se isso fosse um qualquer aliciante, bem ao jeito dos negacionistas...

A malta, quer sentir-se segura. Ponto! E é essa a ideia que se terá de vender e não outra.

“Uns”, anunciam espectáculos que por uma razão ou outra não se fazem e, anunciam a possibilidade de devolução do dinheiro do ingresso. Outros, ‘fecham-se’ em copas e nada dizem... deixá-los falar... escudam-se nas “Leis Covid” e pronto, quem quiser e não puder ir ao espectáculo da nova data, que faça do bilhete um quadro para mais tarde recordar.

“Uns” anunciam corridas com pompa e circunstância e depois afinal, dizem que as anulam... mas, vamos ver, anulam o quê se nem sequer saiu um cartaz...?

Outros, insistem em dizer para se comprar bilhetes de espectáculos que “todos” estamos a ver que pelo plano de contigência, não se poderão realizar...

“Uns” não podem circular numa praça de touros, sendo isso mesmo avisado durante a corrida, quando outros, imagine-se, fotógrafos de uma empresa, circulam durante toda a corrida, eventualmente para mostrar a roupinha nova...

“Uns”, que foi exactamente o nosso caso, vêem uma corrida, fazem uma crónica e outros, vêem outra corrida diferente mesmo sem lá terem ido.

Bem, de uns e outros está o inferno cheio e é necessário de uma vez por todas, alguma coerência e seriedade no meio de tudo isto e que é tão-só, a festa brava que todos dizem querer defender.

Está mais que na hora de afinarmos agulhas e definirmos uma mesma estratégia e até, as mesmas regras para “andar nisto”...

Somos o que somos, valemos o que valemos, mas podemos sonhar em ser mais sérios e melhores.
Pensem nisto...

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0