Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Opinião d’Ouro - Carlos Relvas - Um processo judicial em tua memória!

  • 2022-07-30 10:57
  • Autor: Solange Pinto


"A malta dos toiros, aqueles que fazias gosto em receber, sim, os touros, os teus reis… bem, dizia, a malta dos toiros, há tempos atrás, criou uma Federação a que deu o nome Prótoiro e dizia que era para te defender a ti e às tuas ‘irmãs’. Defender destas coisas a que chamam anti-taurinos… Não te auguro nada de bom. Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Albufeira, já faleceram. Até o teu irmão da capital, já dá poucas ‘festas’..."

A nossa relação começou há quase 40 anos.

Cresci contigo… os meus pais gostavam que recebesse os teus carinhos.

Eras mais nova, embora já não fosses uma menininha…

Os dias em que abrias portas, eram uma festa. A tua festa durava três fins-de-semana. Não fazias a ‘coisa’ por menos.

Os convidados, importantes!

A tua fachada imponente, estava de acordo com o património arquitetónico que é o Bairro Batista, agora protegido e inalterável… És diferente!

Tu própria fizeste de quando em vez, uns peelings de melhoramento da tua imagem, mas os traços únicos, nunca perdeste…

Lembras-te daquelas noites em que estavas com a tua lotação cheia, em três fins-de-semana seguidos. Parecias uma verdadeira praça de temporada, com gente bonita, bronzeada, gente que vinha das praias da Arrábida e antes, passava pelas tascas do choco frito…

Sabes bem que contigo sempre estiveram também as altas individualidades de Setúbal. Lembras-te do Presidente Mata Cáceres? Ajudou-te um bom bocado às tuas noites de Festa… Lembras-te das corridas da Câmara de Setúbal? E lembras-te das corridas da Região de Turismo Costa Azul? E as tais de oito toiros que nunca terminavam antes das duas da manhã…?

Abrias as tuas portas a todos. Não eras snobe e sabes, que sentados nas tuas bancadas, tiveste também o povo, a malta das embarcações, do Mercado do Livramento, os emigrantes de regresso à cidade do Sado.

Tiveste duas bandas a tocar para ti em simultâneo. Festa é festa e tu sabias disso.

E artistas? Tiveste Pablo, tiveste os Telles, Salgueiro… Mas sabes que tinhas uma predileção por Moura e pelo teu “querido” Luís Miguel da Veiga. Pelo José Luís Gonçalves. Pelo teu miúdo Francisco Cortes… Não sei se eras tu, ou o teu dono Jorge Pereira dos Santos, aquele que te defendia acima de tudo… E tu sabes que quem ama, ataca os que te queriam atacar… Tratava mal, quem te queria mal. Hoje percebo. Era amor puro e duro. Por ti…

Quem queria ir à tua Festa, tinha de confirmar presença mais de uma semana antes. Caso contrário, ficava de fora… O cornetim, uma semana antes já tocava nas ruas e a arte de fazer farpas, naquele tempo, ainda se ‘mostrava’ nos stands da Feira de Sant’iago.

Agora, que estás a ponto de cumprir 133 anos (15 de Setembro, no dia do poeta Bocage…), já não te defendem como te defendeu o teu dono… Estás ‘práli’ a envelhecer sozinha, com a tua nova dona, que te mantém marginal, abandonada e à míngua… A Câmara já não te liga como ligou um dia…

As roulottes de farturas e as bifanas já não te acompanham e imagina, todos ali passam e fingem que não te veem.

A malta dos toiros, aqueles que fazias gosto em receber, sim, os touros, os teus reis… bem, dizia, a malta dos toiros, há tempos atrás, criou uma Federação a que deu o nome Prótoiro e dizia que era para te defender a ti e às tuas ‘irmãs’. Defender destas coisas a que chamam anti-taurinos… Não te auguro nada de bom. Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Albufeira, já faleceram. Até o teu irmão da capital, já dá poucas ‘festas’...

Eu digo-te a verdade, não sei se a malta dos toiros se lembra de ti o suficiente, para te defender com ‘unhas e dentes’ como deveria ser…

Passei por ti hoje, no dia em que em vez de assistir à tua festa, vou ver mais uma das tuas irmãs, Caldas da Rainha. Que me perdoe a tua irmã Caldas ou Figueira, mas era contigo que queria estar, minha querida Praça de Touros Carlos Relvas.

Quando desapareceres, fica a certeza, que a Prótoiro moverá um processo judicial qualquer em tua memória…!

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0