Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Em directo

Campo Pequeno, 13 de Julho 2017

2017-07-13 21:30:00

6º Touro - José María Manzanares (Juan Pedro Domecq - 514 quilos)

José María Manzanares voltou a armar o taco e desta feita, logo desde o início da sua estadia na arena.
De capote, recebeu com uma larga afarolada de jeolhos em terra, seguindo com uma meia faena... meia faena porque apenas lhe deu duas ou três tandas e passou o testemunho a Joaquim Ribeiro 'Cuqui' que aproveitou o que pode...
Sob o aviso de Pedro Reinardt, Manzanares voltou à arena para simular a morte do astado.

José Maria Manzanares - Volta

5º Touro - Pablo Hermoso de Mendoza - (Charrua - 588 quilos)

Alquimista recebeu muito em curto o terceiro Charrua do seu lote, diga-se, muito voluntarioso e a proporcionar excelentes momentos.
Pablo deixou bons compridos, para imediatamente se galvanizar nos curtos, montando o Disparate.
Grande, mas mesmo muito grande actuação do rejoneador de Navarra. Soberbos curtos, mas mais soberba ainda a brega templadíssima de que foi autor em dueto, com esta sua montada de luxo.

Francisco Borges efectivou pega ao primeiro intento, envergando a jaqueta dos Amadores de Montemor.

Pablo Hermoso de Mendoza - Volta
Francisco Borges - Volta
Ganadeiro - Volta

 

 

4º Touro - José María Manzanares (García Jiménez - 510 quilos)

Agora sim houve Manzanares.
Esteve francamente bem o espada alicantino, desde o primeiro momento que pisou a arena lisboeta.
De capote, por veronicas e chicuelinas, andou com gosto. De muleta, superior, frente a um toiro escasso de força, mas cuja 'doçura' colaborou para que daqui resultasse uma faena estética, de muletazos larguíssimos e de muita profundidade.
Séries por ambos os pitóns, elegância por todos os poros, muita arte e ofício.
Grande ovação de um público que hoje, agora, fez justiça.
José María Manzanares, está hoje de traje cinza rato e azabache, sendo autor quiçá da melhor faena em Portugal, deste ano.

José María Manzanares - Volta e volta

3º Touro - Pablo Hermoso de Mendoza (Charrua - 636 quilos)

Abriu com Churumuay nos compridos e começou a delinear o taco com o seu cavalo-estrela, Disparate.
As Hermosinas fizeram parte do cardápio apresentado por Pablo Hermoso, frente ao segundo bem apresentado Charrua, numa actuação com esta montada, de muito boa e cadenciada brega, com curtos de nota alta.
Na fase final, Pablo convidou Jacobo Botero a compartir consigo esta actuação, tendo o toureiro colombiano, deixado dois curtos de boa nota, com destaque para o segundo.
Esta prestação foi ritmada, frente a um toiro que cumpriu de boa forma.

João da Câmara efectivou ao quinto intento a pega deste toiro, vestindo a jaqueta dos Amadores de Montemor.
A formação alentejana brindou a Pablo e Manzanares.

Pablo Hermoso de Mendoza - Volta
João da Câmara - Não foi autorizada volta

2º Touro - José Maria Manzanares - (Benjumea - 461 quilos)

Lidando o primeiro do seu lote de três toiros, José María Manzanares, enfrentou-se com um exemplar anunciado como de Benjumea, mostrando-se o peso de 461 quilos.
À sua saída à arena, o toiro foi 'pitado' por escassez de trapio, sendo que o jogo dado, esteve em sintonia com a sua apresentação.
Manzanares, andou discreto em capote e no mesmo registo no que à muleta concerne, perdendo a flanela rubra com muita frequência.
Pedro Reinardt não concedeu música, nem volta ao diestro alicantino.

José María Manzanares - Não foi autorizada volta

1º Touro - Pablo Hermoso de Mendoza (Charrua - 580 quilos)

A primeira actuação da noite, esteve por conta do rejoneador espanhol, Pablo Hermoso de Mendoza.
Pablo levou a efeito uma actuação em tom crescente, subindo o tom com a última montada trazida à arena, o Dali, com o qual deixou os curtos de reunião mais cingida, rematando com piruetas.
Antes e nos iniciais curtos, Hermoso de Mendoza bregou com o Duende, saindo à arena nos compridos, com o Alquimista.
Boa actuação frente a um toiro que se 'deixou'.

Francisco Bissaia Barreto, vestindo a emblemática jaqueta dos Amadores de Montemor, concretizou a primeira pega da ordem, ao segundo intento.

Pablo Hermoso de Mendoza - Volta
Francisco Bissaia Barreto - Volta

Cortesias...

Depois de ter sido anunciado e não ter comparecido devido a um percalço, é hoje a noite em que Pablo Hermoso de Mendoza de reencontra com o 'seu' Campo Pequeno.
O ginete navarro, ombreará em mano-a-mano, com o matador de toiros alicantino, José María Manzanares.
Os toureiros já fizeram as tradicionais cortesias, onde perfilados estiveram também os forcados que esta noite se enfrentaram com três toiros, o Grupo de Forcados Amadores de Montemor.
Lidar-se-ão reses de Charrua (lide a cavalo) e Nuñez de Tarifa (substituindo os Nuñez del Cuvillo), García Jiménez e Juan Pedro Domecq (para a lide a pé).

Este espectáculo será dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico, Pedro Reinardt, coadjuvado pelo médico veterinário, Jorge Moreira da Silva.

O tauródromo da capital portuguesa, apresenta uma lotação que ronda os dois terços de entrada.

Antes do início da corrida, foi guardado um minuto de silêncio em memória do ganadeiro José Palha.